Todo assunto é assunto de criança? Saiba como responder às perguntas dos pequenos

4 minutos para ler

A infância é a fase da curiosidade. É nesse momento que o indivíduo começa a descobrir o mundo e como ele funciona, mas há quem acredite que nem tudo é assunto de criança. Será que isso é verdade e existem limites para responder as perguntas dos pequenos?

Cá entre nós: eles têm muitos porquês e não ficam satisfeitos se não tiverem a resposta que esperavam. Por isso, é preciso ter paciência para acalmar sua curiosidade e contribuir positivamente para seu desenvolvimento.

A meninada aprende de um modo peculiar. Sendo assim, nós, adultos, devemos saber como responder aos questionamentos infantis. Pensando nisso, preparamos este artigo para explicar o que pode ser conversado com uma criança e como isso deve ser feito. Continue lendo para descobrir!

O que é assunto de criança?

Por menor que seja uma criança, é perfeitamente possível conversar com ela sobre temas considerados “de adultos”, como emoções, sentimentos, alimentação, saúde, habilidades, diferenças, sociedade, meio ambiente, política, reprodução, entre outros.

Afinal, tudo isso faz parte do universo infantil, embora de forma diferente do que para os adultos. Na infância, o mundo é uma grande descoberta, daí a necessidade de apresentar todas essas questões para os pequenos.

O universo infantil não precisa girar apenas em torno de brinquedos e desenhos animados. É importante que a criança entenda que ela é um indivíduo e está inserida em uma sociedade, mas tudo isso deve ser tratado de acordo com sua faixa etária.

Como explicar o mundo para as crianças?

Mesmo que tudo possa ser assunto de criança, não podemos conversar com elas da mesma forma como fazemos com adultos. A abordagem precisa ser diferente para que a curiosidade seja sanada do jeito certo, trazendo informações verdadeiras sem causar impactos que interfiram negativamente no desenvolvimento.

A forma como respondemos as perguntas faz toda a diferença para que ou a criança entenda o que foi explicado ou fique confusa — até mesmo traumatizada, dependendo do que foi conversado.

Por isso, precisamos de algumas estratégias quando vamos conversar com os pequenos, a fim de satisfazer a sua curiosidade adequadamente. A seguir, veja o que fazer para não cometer erros.

Tenha paciência

Como dito, a infância é a fase da descoberta, portanto, é natural que a garotada queira saber tudo. Cabe aos adultos ter paciência e entender que tudo é novo nessa fase e que os pequenos confiam em quem está ao seu lado para mostrar o mundo para eles.

Evite mentiras

Mentir é uma péssima atitude: a criança vai crescer e descobrirá a verdade. Quando isso acontecer, ela poderá perder a confiança em quem mentiu para ela e até mesmo se sentir ofendida por ter sido enganada. Ou, pior, entender que essa é uma atitude normal.

Procure não desconversar

Se uma criança faz uma pergunta é porque quer uma resposta, então não é recomendado desconversar quando ela começa a debater um tema. Embora ainda não tenha amadurecido, ela sabe que está sendo enrolada.

Use uma linguagem adequada

Tudo pode ser assunto de criança quando usamos a linguagem adequada. As explicações precisam estar de acordo com a maturidade e o conhecimento dela; do contrário, ela ficará confusa. Portanto, procure adequar seu pensamento à idade do pequeno.

Responda somente o que foi perguntado

Sempre que a criança questionar alguma coisa procure dar uma resposta direta. Seja sucinto e sincero, sem se alongar demais nas explicações. Responda o que é suficiente naquele momento: informações em excesso podem não ser bem-vindas agora.

Apesar de ser importante responder as perguntas das crianças, nem todas as respostas precisam vir dos adultos. Estimular a leitura é uma excelente maneira de mostrar para o pequeno que ele mesmo pode procurar o que deseja saber.

Não se esqueça de que tudo é assunto de criança, mas existe uma linguagem apropriada para cada momento. Sendo assim, tenha paciência e respeite as etapas de desenvolvimento dela, para que você possa abordar todos os temas de uma forma saudável e permitir que ela descubra o mundo naturalmente.

Já que falamos sobre incentivo à leitura, faça o download gratuito deste material e confira algumas dicas práticas para incentivar a criança a ler!

Posts relacionados

Deixe uma resposta